Segurança Tecnológica nas Empresas Portuguesas

Num estudo realizado pela IDC e pela Cisco (“Segurança de Informação nas Organizações Portuguesas 2016”), onde se avaliou a segurança tecnológica no seio das empresas portuguesas, chegou-se a uma conclusão: as empresas portuguesas são pouco maduras, no que toca à sua segurança tecnológica.

 

É um paradigma preocupante, quando a maioria das empresas no nosso país não tem mecanismos para saber se está a ser atacada ou se foi atacada, tecnologicamente. Em muitos casos, este facto deve-se à falta de profissionais com competências nestas áreas, ou mesmo por um parco budget alocado para o IT.

 

Estas falhas fazem com que as empresas não consigam quantificar o impacto que esse ataque pode ter tido no seu negócio ou nos casos em que conseguem quantificar, muitas vezes, já é tarde e perderam informações cruciais do seu negócio. Daí a extrema importância de um acompanhamento preventivo e evolutivo de uma equipa de profissionais competentes e que estejam sempre a par de todas as novas ameaças do mercado.

 

No caso das empresas que já efetuam algum tipo de intervenção, esta é obsoleta, dadas as ameaças mais recentes. Muitas empresas apostam na segurança contra ameaças externas, com anti-spyware, anti-spam, antivírus e firewalls. Porém, tecnologias de crifra (encriptação) para proteger informação corporativa, e-mails, armazenamento ou equipamentos móveis ainda é bastante descurada.

 

Na INOVFLOW encontra uma equipa comprometida com as necessidades técnicas da sua organização e empenhada no apoio diário com o uso dos sistemas informáticos.

 

Não corra riscos com a informação do seu negócio, contacte-nos e solicite mais informações!

Leave A Comment

five + 6 =