O importante papel das PME para o futuro

Jornal Económico – 29 de julho de 2016

“A tecnologia não pode ser vista de forma isolada, mas sim como um driver para melhorar o serviço ao cliente, potenciar o envolvimento das organizações com os seus stakeholders, automatizar e otimizar os processos, e gerar novas oportunidades de negócio”. Concorda? Não perca o artigo de opinião do nosso Executive Manager, Paulo Magalhães, publicado também no Jornal Económico.

Por princípio, as PME têm a agilidade, a versatilidade e a capacidade de resposta para serem bem-sucedidas. No entanto, existem muitos desafios que devem considerar para melhorar as suas operações e consolidar os seus negócios.

Falamos, por exemplo, da área do conhecimento, da eficiência, da conformidade, do talento e do serviço ao cliente. É do conhecimento geral que as PME são um veículo crítico para o crescimento da economia mas, para tal, precisam de trabalhar de forma inteligente e capitalizar as suas vantagens competitivas.

É verdade que é mais fácil dizer do que fazer, mas muitas PME já provaram que é possível. Para se consolidarem e expandirem, as PME têm de entender muito bem os seus negócios. O mapeamento dos processos desempenha um papel-chave, pois permite identificar onde são fortes e onde precisam de melhorar as capacidades, aprimorar a eficiência, promover a inovação, cultivar os talentos e colocar o cliente no centro de tudo o que fazem.

A transformação digital é uma alavanca para o aumento da produtividade e deverá contribuir para o aumento da competitividade e modernização das empresas. Esta digitalização está a provocar em todos nós a necessidade de refletir sobre quais serão os próximos passos, surgindo atualmente no centro da estratégia das empresas. É um desafio complexo e não estamos apenas a falar de tecnologia, mas sim de como os negócios vão evoluir com a sua proliferação.

A tecnologia não pode ser vista de forma isolada, mas sim como um driver para melhorar o serviço ao cliente, potenciar o envolvimento das organizações com os seus stakeholders, automatizar e otimizar os processos, e gerar novas oportunidades de negócio. Regularmente penso sobre as minhas escolhas e sobre o caminho que percorro para lá chegar.

De imediato percebo o quanto utilizo a tecnologia no meu dia a dia, em particular na tomada de decisões, e como esta mudou a forma como me relaciono com as empresas. Como reservo um hotel, escolho um restaurante, aprovo operações, consumo informação, realizo compras? Resposta fácil, não é? Hoje, a tecnologia é inseparável dos seus utilizadores. E a mesma facilidade e experiência com que a usam a nível pessoal tem de ser transposta para o nível empresarial.

Veja também o artigo publicado no Jornal Económico

 

Comments are closed.