Melhorar processos, maximizar receitas e reduzir custos na gestão de armazéns. Como é possível?

A gestão de armazéns desempenha um papel crítico na rentabilidade das organizações e é um dos pilares da logística, não só devido ao seu intrínseco valor (transferência de produtos para os clientes finais), mas também por ser uma das áreas em que a falta de organização, rigor e controlo mais impacta os resultados. Está muito em jogo, a complexidade é um facto assumido e o sucesso faz-se de estratégias bem delineadas e tecnologias focadas na eficiência e automatização em toda a linha – quer na vertente do planeamento da armazenagem, quer na distribuição das mercadorias e acompanhamento do estado da entrega.

 

Então como é possível melhorar processos, maximizar receitas e reduzir custos na gestão de armazéns, tudo ao mesmo tempo? Com uma plataforma tecnológica que operacionalize a estratégia, otimize recursos físicos e humanos, e permita:

  • Identificação rápida do estado de ocupação do armazém e consulta das características de cada mercadoria
  • Otimização do espaço de armazenagem e do circuito de entradas e saídas das mercadorias, posicionando-as para uma maior eficiência das entregas e diminuindo os custos de preparação, armazenagem e movimentação, com um picking em função das encomendas
  • Eliminação das perdas de mercadorias (por validade, obsolescência, etc.), e inventário permanente e em tempo real dos armazéns existentes
  • Articulação entre armazenagem, inventário e operações
  • Aumento da rapidez na preparação e no envio dos pedidos, e rastreabilidade desde a receção da mercadoria até à expedição
  • Planeamento ágil e rigoroso das rotas e das entregas, e eliminação dos erros de conferência e expedição
  • Automatização e organização de todos os processos relacionados com a gestão de cargas e de serviços de entrega
  • Confirmação de entregas por registo eletrónico e notificação por e-mail, possibilidade de cobranças na hora, e classificação de causas de não entregas e devoluções
  • Integração com o sistema de gestão existente, monitorização da informação em tempo real e relatórios de apoio à gestão
  • Facilidade de utilização por qualquer pessoa não técnica

 

De facto, entregas na hora exata, na quantidade certa e com a qualidade desejada é o objetivo último de qualquer operação logística, mas para tal é preciso manter afinados todos os pontos referidos em cima e que constituem a sua cadeia de valor.

Organizar a mercadoria no armazém, onde tudo começa, até pode parecer algo simples. Porém, se os processos não estiverem bem estruturados, ou se não forem partilhados por todos os intervenientes, é muito fácil perder o controlo. Repare em apenas alguns exemplos do que pode suceder se não houver uma boa gestão do armazém:

  • O espaço físico não é rentabilizado ao máximo, logo perde competitividade
  • A preparação para expedição é morosa, logo perde mais competitividade
  • É difícil identificar a mercadoria, logo acumulam-se perdas (principalmente nos produtos perecíveis)
  • As equipas não têm fluxos padronizados, logo são menos produtivas

E as perdas de eficiência podem ser muitas mais! Uma plataforma tecnológica de gestão de armazéns e redes de distribuição põe fim a esta situação e introduz um novo vigor nos processos, desde a receção das mercadorias até à entrega ao cliente.

Nunca se esqueça que, com a globalização e várias alternativas à disposição, o cliente tornou-se mais exigente e o esforço para o satisfazer e fidelizar tem mesmo de estar no topo das prioridades. Criar uma boa imagem no mercado exige consistência e persistência, mas uma única operação mal calculada pode ser o suficiente para perder negócio e manchar uma reputação positiva, que precisará de muito tempo para recuperar.

Não é difícil que mesmo estruturas oleadas caiam num ciclo de falhas, num contexto em que os canais de distribuição se multiplicaram e assumem requisitos distintos, os mercados se alargaram e os prazos de entrega continuam a diminuir.

Por tudo isto, há um conjunto de sinais que não podem ser ignorados e que devem fazer soar os alarmes quando começam a persistir numa operação logística. Ter dificuldade em identificar stocks, saber qual a sua quantidade ideal, ou cometer erros frequentes na expedição denunciam a necessidade de medidas urgentes.

Rever todo o ciclo da operação e identificar o que tem de ser melhorado em cada fase deve ser o primeiro passo. Depois, saber como essas melhorias podem ser materializadas e aceleradas com o apoio de uma plataforma tecnológica e, finalmente, definir um calendário realista para a implementação com os respetivos resultados expectáveis.

Melhorar processos, maximizar receitas e reduzir custos na gestão de armazéns é assim rapidamente possível com uma plataforma tecnológica de WMS (WarehouseManagement System) e DMS (Distribution Management System), como é o caso do Eye Peak do nosso parceiro PRIMAVERA. Assista ao vídeo com os resultados da sua implementação na Garcias e peça hoje mesmo uma demonstração personalizada para avaliar como o Eye Peak responde também às necessidades específicas da sua organização.

A INOVFLOW pode ajudar numa perspetiva de 360º, ou seja, desde a importantíssima fase de diagnóstico à situação existente até ao desenho e otimização dos processos, sua transposição para a solução tecnológica, implementação, infraestrutura, formação e suporte.

 

Paulo Goncalves Senior Consultant InovflowPaulo Gonçalves
Project Manager e Especialista em Eye Peak/Gestão de Armazéns
INOVFLOW

 

 

Subscreva a nossa newsletter para ficar a par de todas as novidades e não perder nenhum artigo do blog da INOVFLOW!

 

Inovflow eBook Boas Praticas em TI para PMEs Assinatura