8 dicas para ter uma equipa motivada e colaborativa

Construir e manter uma equipa motivada, envolvida e colaborativa é um dos maiores desafios para os gestores, hoje em dia. As empresas já não são unidades estanques e isoladas. São organismos cada vez mais abertos e participativos e segundo especialistas, as diferenças geracionais são praticamente um mito. Os locais de trabalho apresentam a maior disparidade etária da história, visto ser a primeira vez que quatro gerações convivem:


  • Geração do Baby Boom >> 1946-1964;
  • Geração X >> 1965-1980;
  • Geração Y >> 1981-1995;
  • Geração Z >> desde 1996 até hoje.

Contra qualquer pressuposto, a chegada da Geração Z ao mercado profissional resultou num fator de união para os restantes trabalhadores, onde todas as gerações acreditam nos valores e ideais da sua empresa, mas a motivação, envolvimento e colaboração não acontecem por acaso, é preciso fomentá-las. É preciso quebrar barreiras e todos têm o seu papel para que isto aconteça, mas cabe ao gestor preparar o “cenário”, entendendo e implementando as estratégias necessárias. Seguem 8 sugestões:


Reconheça o mérito

Além de um vencimento justo, dê um adicional que recompense. Desta forma, além do valor pelo trabalho, o colaborador tem plena noção que ir mais além tem resultados práticos não só para a empresa como para si. Por outro lado, mesmo ao longo do tempo, pequenos gestos fazem a diferença, como um agradecimento/felicitação pessoal face a conquistas específicas – algo que marque que o esforço foi notado e é reconhecido. E se a empresa superar os objetivos definidos, atribua um prémio aos colaboradores que assinale o seu contributo. Tudo isto precisa de ficar bem definido de início – as pessoas têm de saber as responsabilidades base, os critérios para o adicional e o que é preciso alcançar para o prémio.


Garanta um local agradável de se estar

Um lugar onde todos se sentem bem, onde também há espaço para fazer uma pausa, onde se pode trabalhar em equipa ou de forma mais concentrada, onde se promove uma cultura de “porta aberta”. Ou seja, onde cada um pode dar o melhor de si.


Ofereça oportunidades para o desenvolvimento pessoal

Incentive a autoaprendizagem (todos somos responsáveis pela nossa própria evolução), mas forneça também formações que enriqueçam os colaboradores, quer a nível mais técnico (relacionado com a área de trabalho) quer de soft skills (atitudes e comportamentos que facilitam a relação com os outros e melhoram o desempenho). Outra boa prática para partilhar conhecimento e ao mesmo tempo fomentar a relação entre todos é organizar formações dadas por membros da própria empresa – ver em que áreas existem “especialistas” e a quem essas competências podem igualmente ser úteis.


Promova uma cultura de entreajuda e ética

Isto é algo que tem de ser intrínseco e fomentado logo desde o recrutamento. Todos devem ter em mente que sozinhos são menos fortes que juntos e tem de existir uma predisposição para trabalhar em grupo, ajudar e não ser um bloqueador e gerador de conflitos. É muito importante todos saberem que “é a falar que nos entendemos” e resolver logo qualquer situação que possa prejudicar este espírito. Por outro lado, não se esqueça da boa prática de “elogiar em público e chamar a atenção em privado”.


Incentive a partilha de ideias

Quer através de reuniões especificas para tal, quer através de uma caixa de sugestões, quer através de um endereço de email criado para o efeito, quer no próprio dia-a-dia, todos os colaboradores devem ser incentivados a partilhar as suas ideias para melhorar a empresa e o seu trabalho em qualquer nível. É importante depois dar feedback sobre o seu andamento, implementação e resultados.


Crie canais de comunicação contínua

Além do referido em cima, por exemplo uma newsletter regular que agregue as principais novidades, iniciativas e informações úteis. E, sempre que necessário, comunicações específicas. Nunca se esqueça que os colaboradores têm de ser os primeiros a ter conhecimento sobre o que de mais relevante se passa internamente – e não serem surpreendidos pela imprensa, pelos clientes ou pelos seus amigos.


Junte a equipa com regularidade

Mesmo no mundo digital atual, nada bate um encontro entre pessoas. Organize atividades de team building quer com toda a equipa quer entre departamentos, faça um kick-off no início do ano com todos os colaboradores para partilhar os resultados alcançados e a estratégia futura, promova pequenos encontros entre as chefias e os colaboradores, ou entre os membros de determinado departamento ou entre o diretor da empresa e os colaboradores. Por exemplo, pequenos-almoços que permitem aferir o grau de satisfação e as ações de melhoria a implementar, identificar e agir em tempo útil sobre eventuais resistências (a tão importante gestão da mudança), etc.


Efetue avaliações de performance, planos de carreira e inquéritos de satisfação

Ninguém pode evoluir se não souber o que está mal, o que deve mudar e porquê. E para terem mais efeito, as avaliações devem ser recíprocas – isto é, o gestor avaliar o colaborador e este avaliar o gestor, com total transparência e sentido de aperfeiçoamento contínuo. Estas avaliações são uma boa base para a evolução na carreira. O colaborador deve saber que caminho pode percorrer e o que precisa de fazer para tal. Uma vez por ano, também poderá haver um inquérito de satisfação mais abrangente para identificar potenciais lacunas, preocupações e investimentos necessários ao nível da equipa.


Por muito competente que seja uma pessoa, se não estiver satisfeita, se não se relacionar de forma correta com os outros, se não estiver “nem aí” para o desempenho global da empresa, se não for estimulada, se não tiver as ferramentas necessárias, nunca vai ser aproveitada ao máximo e pode “minar” os colegas. Antes que seja tarde, avalie a situação atual, defina o que é preciso fazer e acompanhe os resultados.


Tudo isto é um processo dinâmico que exige controlo e ajustes sempre que necessário.

A mudança tecnológica que as empresas estão a conduzir ao nível da gestão de recursos humanos é desafiadora e ter um parceiro tecnológico que apoie no diagnóstico, consultoria, parametrização e alinhamento da solução com o negócio é um trunfo importante, a INOVFLOW tem as soluções, as competências e a experiência para ser esse parceiro e tornar a sua equipa mais produtiva, eficiente e feliz. Somos Primavera Premium Partner e reunimos o know-how essencial à configuração e adaptação do software (PRIMAVERA RH e OMNIA Employee) às necessidades específicas de cada organização. Além destas soluções específicas para a área de RH temos muitas outras que vão facilitar o trabalho diário de todos os colaboradores, como é o caso das ferramentas de colaboração da Microsoft.

Fale connosco e, juntos, vamos discutir por onde começar e com que resultados expectáveis.

Comments are closed.