Transformação digital: a sua empresa inova para os 100 metros ou para a maratona?

Correr ao sprint e fazer uma maratona são duas formas de treinar e melhorar a forma física, mas tudo o resto é distinto. Na vida das empresas também há estas duas realidades, e as diferenças – no método e nos resultados – são evidentes e um bom indicador de como estão a abraçar o desafio da transformação digital.


A sua empresa apenas mantém o negócio a funcionar e vai inovando pontualmente para resolver problemas de curto prazo? Ou segue uma abordagem mais estratégica, contemplando as várias peças do puzzle para otimizar processos numa lógica integrada e de melhoria contínua?

Ambas as abordagens produzem resultados, mas a capacidade de impactar todo o negócio e dar-lhe a elasticidade necessária para se adaptar aos desafios crescentes do mercado, dos clientes, dos colaboradores e da concorrência são muito díspares. É a tal diferença entre fazer um sprint e correr uma maratona.   


Abraçar verdadeiramente a transformação digital não deixa de ser agir por partes, mas olhando para o todo e de forma conectada, começando de dentro para fora, para dar robustez a toda a máquina e não correr o risco de investir na melhoria de pequenas peças, mantendo a coluna dorsal do negócio presa por arames.

Vários sinais podem dar indícios de que a inovação na sua empresa está a passar ao lado dos projetos com verdadeiro potencial transformador para toda a organização. Aqui ficam alguns e respetivas dicas, para corrigir a trajetória:


Existem silos de informação, os erros repetem-se e o trabalho duplica-se

Facilitar fluxos de informação entre departamentos e maximizar os insights de cada um é hoje uma peça-chave em qualquer negócio, para não perder tempo com tarefas repetitivas e de baixo valor, mas também para minimizar erros e evitar a duplicação de trabalho. Privilegiar soluções que possam comunicar entre si deve por isso ser uma prioridade. O software de gestão deve “falar” com as aplicações de vendas, logística, recursos humanos, suporte e outras, para se obter uma visão mais clara do negócio, promover eficiências e ajudar a identificar novas oportunidades.  


Não estamos a conseguir cumprir as expectativas dos clientes

Conhecer bem o cliente e ser assertivo tornou-se fundamental, num mercado com tanta oferta. Mas como fazê-lo? Ter uma boa estratégia de marketing digital, 100% alinhada com o negócio, é essencial para comunicar no local, medida e termos certos. Mas não é tudo. Cada interação com o cliente pode ser potenciada colocando em ação ferramentas de CRM e analítica, que ajudam a conhecer as suas preferências e proporcionar-lhe a melhor experiência.


Abrimos um novo mercado, mas demorámos demasiado a montar a operação…

….a concorrência antecipou-se e comprometeu o business plan. A agilidade é um bom barómetro do nível de transformação digital de uma empresa e os serviços cloud têm uma palavra a dizer. Oferecem soluções à medida, rapidamente configuráveis e que permitem aumentar e reduzir capacidade, sempre que há necessidade disso, sem perder tempo precioso e com investimentos reduzidos (paga o que precisa a cada momento e sem custos elevados de infraestrutura).


A inovação está centralizada

O erro aqui é de abordagem. A inovação deixou de estar fechada num departamento e é hoje missão de toda a empresa. Cada área conhece os seus processos de negócio melhor que nenhuma outra. Abrir espaço à partilha de ideias e a pequenos projetos experimentais é fomentar a inovação. As ferramentas de produtividade e colaboração (videoconferência, chat, portais empresariais) podem ajudar a incutir o espírito de partilha e são também uma enorme mais-valia para facilitar a comunicação e as tarefas do dia-a-dia.


Temos dificuldade em recrutar e reter talentos

Pode estar na hora de inovar nos próprios processos de recrutamento ou nos planos de carreira, mas é importante sublinhar que não foram só as expectativas dos clientes que mudaram nos últimos anos. Num mercado cheio de oportunidades, as empresas mais disruptivas, digitalmente mais ativas e que promovem um ambiente de trabalho moderno e sem barreiras físicas, conciliador da vida pessoal e profissional, e em que os colaboradores são continuamente capacitados e estimulados, são muito mais “atraentes”, sobretudo para as gerações mais novas. Recorde algumas dicas para conseguir uma equipa motivada, envolvida e colaborativa que agregámos neste artigo de blog.


A transformação digital é, sem dúvida, uma corrida de fundo e algumas destas áreas encerram os seus maiores desafios, mas estão também entre as que mais podem beneficiar de um conjunto de tecnologias emergentes para multiplicar oportunidades de crescimento.

Na INOVFLOW podemos treinar com a sua empresa a melhor estratégia para preparar esta maratona e correr lado a lado para vencer cada km. Com a visão certa e um bom alinhamento de prioridades vai ser certamente mais fácil vislumbrar a meta. Fale connosco!


Entretanto, subscreva a nossa newsletter para ficar a par de todas as novidades e não perder nenhum artigo do blog da INOVFLOW!



Paulo Magalhaes

Paulo Magalhães

Executive Manager – INOVFLOW





Comments are closed.